sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Duas vezes amor...


                Ela era uma pessoa comum, gostava de estudar, ler, conversar com os amigos, trabalhar, ficar em seu quarto, enfim, nada de muito especial. Havia em sua mente vários planejamentos e metas, menos casar e ter filhos, isso estava definitivamente fora dos seus planos, não acreditava no amor, nem na possibilidade do: Felizes para sempre. Quanto aos filhos, não se julgava capaz de tê-los e criá-los. Os dias passavam rapidamente, e ela, executava pouco a pouco, partes de seus projetos. Curso de legislação, pré-vestibular, curso de inglês, estava decidida a se dedicar a sua vida profissional.
                Sempre dedicada, passou na legislação, no vestibular, se saia bem no inglês, mas hoje, é professora de espanhol. Enfim, tudo lhe parecia perfeito e era, mas o destino se encarregou de mudar essa história. Numa sexta-feira,  convidada por uma amiga, foi passar à noite fora, naquela noite, sua vida, tomaria outro caminho. As duas famintas, depois de um longo dia atendendo vários telefonemas, pararam para lanchar. Bom, pediram um sanduíche, estavam com pressa, mas foram surpreendidas por ele. Quando o viu, sentiu algo diferente, era como se o conhecesse de longa data. Ele com seus olhos verdes e gentileza, foi logo se apresentando, ou melhor, não precisou se apresentar, pois sua amiga sempre falava sobre ele. Então, os três foram preparar a recepção, logo chegaria à galera da universidade.
                A noite estava ótima, ela nunca se divertira, bebera e dançara tanto, sem perceber que, estava sendo observada por ele. Cansada, pois já era madrugada, resolvera subir para descansar. Sua amiga, preocupada com as escadas, pediu que ele, a acompanhasse, ele o fez de bom grado, mas não hesitou em roubar um beijo, nervosa, ou melhor, furiosa, ela o recriminou, mas ele a beijou novamente, fazendo com ela se rendesse àquele beijo maravilhoso. Os dois se apaixonaram perdidamente e não conseguiam mais ficar longe um do outro.             
                Ela continuava estudando, trabalhando, porém amando, não pensava em se casar e nem ter filhos, a vida estava só começando e queria se estabilizar profissionalmente. Mas, há dias não se sentia bem, não comia, só vomitava, como já havia tido hepatite, pensava ser novamente o fígado, o mal-estar, passaria logo. Não passou, durou 8 meses, perdeu sete quilos e adquiriu treze, não dava para acreditar, eram eles, ou melhor, ele e ela. Um mundo de sentimentos a invadiu, mas sentiu que era mais uma vez o amor. O verdadeiro amor, em dobro, os seus filhos tão especiais, eram gêmeos, um casal. Apesar dos riscos da gravidez, ela cursou a faculdade, eles nasceram no terceiro período, foi difícil, mas os seus planos e metas tinham que ser realizados e foram. Eles a faziam continuar, ou melhor, fazem.
                Meus dois amores, mesmo sendo diferentes, o fato de amanhecer todos os dias sabendo que vocês  são  parte de mim  e que terei os sorrisos e olhares, mais sinceros que já conheci, mesmo que estejam crescendo, isso me torna uma mulher verdadeiramente realizada e muito feliz e não há riquezas e projetos que se comparem à vocês.

2 comentários:

  1. Dedico ao Arthur e a Bel.Amo vcs!

    ResponderExcluir
  2. Bia, apesar de já conhecer essa história, a leitura dela, deu uma emoção nova. Muito bom, um texto escrito com o coração.

    ResponderExcluir